28 de jul de 2019

NOITE DA REBELDIA CUBANA - 26 DE JULHO



Neste sábado 27 o Comitê Carioca e o Raízes do Brasil em Santa Teresa realizaram a já tradicional festa cubana em homenagem ao 26 de julho - Dia da Rebeldia Cubana.
O dia 26 de julho marca a data do assalto ao Quartel de Moncada e de Carlos Manuel de Céspedes em Santiago, onde os revolucionários pretendiam  conseguir armas para combater a sanguinária ditadura de Fulgêncio Batista em 1953. Ali foram mortos, presos e torturados aqueles que seriam seis anos depois, os vencedores com o triunfo da Revolução: o Movimento 26 de Julho (M-26-7)
Ali ficou preso também Fidel Castro que, já advogado, fez a própria defesa com base no que mais tarde seria um famoso livro: "A história me absolverá".


Por isso se diz que ali não ocorreu uma derrota e sim o preâmbulo do grande feito histórico: a Revolução Cubana. 

Muito concorrida, a noite contou com mais de 180 pessoas que comemoraram a data com música, dança cubana, mojitos (feito com genuíno rum Havana Club) e comida típica.

A decoração da casa com bandeiras de diferentes países da América Latina e do 26 de julho é sempre em si mesma a grande homenagem a Cuba e sua Revolução.


O ato politico  iniciou o evento com a Presidente da Rede Internacional de Intelectuais, Artistas e Movimentos Sociais em defesa da Humanidade (REDH)  - Capítulo
Brasil  Marília Guimarães (foto) contando um pouco da realidade de Cuba onde viveu por dez anos 
Após, o cubano Jesus que vive no Brasil explicou um pouco da questão do bloqueio que o governo dos EUA impõe a Cuba há sessenta anos 

Beto Santos (foto) , militante do MPA (Movimento dos Pequenos Agricultores) que administra a Casa prestou a homenagem ao resistente povo cubano e à sua Revolução que inspira toda a América Latina ressaltando o bloqueio que agora o império estadunidense impõe também à Venezuela. 
Em seguida o presidente regional do PCdoB, João Batista fez uma chamada à solidariedade a Cuba em tempos de recrudescimento do bloqueio à Ilha.

O Cônsul da Venezuela no Rio de Janeiro, companheiro Edgar Marin (foto)  também se solidarizou com Cuba e o criminoso bloqueio que agora se estende à Venezuela atingindo principalmente o povo venezuelano que segue resistindo às sucessivas tentativas de golpe por parte do governo Trump e países submissos da região.

Um sorteio feito pelo Comitê Carioca de Solidariedade a Cuba ofereceu livros, bonés, chaveiros, bandeiras, boinas, etc...tudo relacionado a Cuba e de lá provenientes que - como sempre - causou grande expectativa. 

Ao final e ao som de  músicas cubanas cantadas pelos presentes foi  compartilhado um bolo temático  (muito fotografado...) com a inscrição do que todos exigimos:

                                 #PeloFimDoBloqueio 
                                                          






Parabéns aos envolvidos, aos organizadores, aos participantes e a todas e todos que são solidários a Cuba e lutam por sua soberania !

            O bloqueio continua. A solidariedade também.

Um comentário:

  1. Parabéns pela atividade. Cuba é um país fantástico que nos inspira. Amei cada dia que estive lá.

    ResponderExcluir