26 de fev de 2019

O POVO DISSE SIM À NOVA CONSTITUIÇÃO


Graciela Ramírez, Resumem Latinoamericano Correspondente em Cuba.
 Fotos: Beatriz Santamaría.




Havana 25 de fevereiro de 2019

O povo cubano votou em massa por sua nova Constituição. Com a modéstia que caracteriza a grandeza da Revolução cubana, este povo deu ontem outra lição ao mundo de verdadeira democracia.

Toda a glória do mundo cabe em um grão de milho” dizia José Martí, sem saber que os jovens liderados por Fidel em 1959 fariam sua a profundidade da frase  e educariam  todo um povo nessa ética. 

Nossa correspondência tem sido testemunha do singular processo, único no mundo por seu nível de participação cidadã, desde o começo da proposta da nova Carta Magna até sua aprovação por esmagadora maioria no dia de ontem.
Dezenas de milhares de Assembleias realizadas em fábricas, campos, centros de trabalho, universidades e bairros ao longo de toda a geografia cubana, desde a serra à planície, nas quais cada eleitor expressou as considerações, objeções, modificações e adições, que deram corpo final ao texto que se levou à votação. 




Mais de três milhões de exemplares impressos neste país onde o papel e a tinta não abundam pela perversidade do bloqueio, foram postos à disposição dos mais de 11 milhões de cubanos, sobre o conjunto de Leis que regerão os destinos da nação e deverão valer a partir de sua publicação em vigência por seu cumprimento.
Temos visto como se levavam escritas as propostas e marcados os tabloides em cada assembleia, realizando um exercício democrático que para os cubanos é “natural”, mas  que resulta absolutamente inédito em um mundo ameaçado pela potência maior do planeta, a que em nome da “democracia” mira golpes de estado, persegue e encarcera líderes populares, impõe governos a seu gosto e quando não pode consumar o golpe decreta bloqueios, intervenções, guerra econômica e brutal ingerência a países irmãos como Venezuela, sem descartar nunca a opção militar. Deveria fazer envergonhar aos que se enchem a boca de “democracia”  e a violam diariamente começando pelos meios que escrevem para eles. 

    Neste marco de tensa situação regional deu-se a eleição da nova Constituição cubana.
Como sempre, o governo de Estados Unidos apostou com todo seu repertório de mentiras, calúnias, rios de tinta, fake news, e para esta ocasião investiram grandes quantidades de dinheiro em mensagens de texto a celulares cubanos enviados com falsa bandeira desde Europa, propondo votar pelo NÃO.
Há que se perguntar por que tanto interesse no NÃO, quando é um exercício interno que só diz respeito aos  cubanos.  Voltaram a ser derrotados ante a consciência e a sabedoria do povo.



A nova Constituição olha o futuro através da realidade transformadora que vive a sociedade na esfera econômica e trabalhista, na qual se reafirma o caráter Socialista da Revolução, fazendo-a mais inclusiva ao ter em conta a proteção dos direitos de todas e todos em sua diversidade, e na qual prima a dignidade humana e o respeito aos direitos inalienáveis de todos os que compõem a nação.

Ontem percorremos com nossas colegas 9 Colégios eleitorais, em bairros como La Lisa, Marianao, Habana Velha, Centro Habana, Cerro e Novo Vedado, em todos vimos o que dizemos ao princípio, quanta modéstia e singeleza para levar a cabo um ato tão grande, onde a pequena salinha do médico, ou a garagem da casa se converteu em centro de votação.
O clima de paz e tranquilidade absolutamente invejável para os que temos vivido eleições em nossos países, o controle estrito para fazer valer o direito da cada eleitor a votar, a participação majoritária da mulher em todos os Colégios eleitorais, a preocupação pelos idosos ou doentes que não poderiam se deslocar por seus próprios meios e um pioneiro junto ao presidente da mesa lhe levava a cédula em sua casa.
O avô de 103 anos que esperava ansioso votar, ou o cego ao que uma pioneirinha  guiou com sua mão onde assinar e ao ouvido lhe disse onde marcar com uma cruz pelo SÍ que deu este povo, ou os homens e mulheres que fizeram um intervalo nas tarefas de reconstrução de seus bairros e moradias açoitados por um feroz tornado há só 23 dias, ou os que vimos pela TV chegar a cavalo para votar nas zonas intrincadas da serra.


Este 24 de fevereiro ficará marcado na história como o dia em que 154 anos após o começo da guerra necessária de José Martí, todo um povo reafirmou sua vocação independente, livre, socialista e soberana.





Para descarregar o texto da Nova Constituição cubana dar clique em: http://media.cubadebate.cu/wp-content/uploads/2019/01/constitucion-cuba-2019.pdf



Texto original:


El pueblo dijo Sí a la nueva Constitución
Graciela Ramírez, Resumen Latinoamericano Corresponsalía Cuba.
Fotos: Beatriz Santamaría.
La Habana 25 de febrero de 2019
El pueblo cubano votó masivamente por su nueva Constitución. Con la modestia que caracteriza la grandeza de la Revolución cubana, este pueblo dio ayer otra lección al mundo de verdadera democracia.
Toda la gloria del mundo cabe en un grano de maíz” decía José Martí, sin saber que los jóvenes liderados por Fidel en 1959 harían suya la profundidad de la frase  y educarían a todo un pueblo en esa ética. 
Nuestra corresponsalía ha sido testigo del singular proceso, único en el mundo por su nivel de participación ciudadana, desde el comienzo de la propuesta de la nueva Carta Magna hasta su aprobación por abrumadora mayoría en el día de ayer.
Decenas de miles de Asambleas realizadas en fábricas, campos, centros de trabajo, universidades y barrios a lo largo de toda la geografía cubana, desde la sierra al llano, en las que cada elector expresó las consideraciones, objeciones, modificaciones y adiciones, que dieron cuerpo final al texto que se llevó a votación.  
Más de tres millones de ejemplares impresos en este país donde el papel y la tinta no abundan por la perversidad del bloqueo, fueron puestos a disposición de los más de 11 millones de cubanos, sobre el conjunto de Leyes que regirán los destinos de la nación y deberán velar a partir de su puesta en vigencia por su cumplimiento.
Hemos visto cómo se llevaban escritas las propuestas y marcados los tabloides en cada asamblea, realizando un ejercicio democrático que para los cubanos es “natural”, pero  que resulta absolutamente inédito en un mundo amenazado por la potencia más grande del planeta, la que en nombre de la “democracia” asesta golpes de estado, persigue y encarcela a líderes populares, impone gobiernos a su gusto y cuando no puede consumar el golpe decreta bloqueos, intervenciones, guerra económica y brutal injerencia a países hermanos como Venezuela, sin descartar nunca la opción militar. Debería hacer avergonzar a los que se llenan la boca de “democracia”  y la violan a diario comenzando por los medios que escriben para ellos. 
En este marco de tensa situación regional se dio la elección de la nueva Constitución cubana.
Como siempre, el gobierno de Estados Unidos apostó con todo su andamiaje de mentiras, calumnias, ríos de tinta, fake news, y para esta ocasión invirtieron grandes cantidades de dinero en mensajes de texto a celulares cubanos enviados con falsa bandera desde Europa, proponiendo sin reparos votar por el NO.
Hay que preguntarse por qué tanto interés en el NO, cuando es un ejercicio interno que solo les concierne a los cubanos.  Volvieron a estrellarse contra la dignidad, la conciencia y la sabiduría del pueblo.
La nueva Constitución mira al futuro desde la realidad transformadora que vive la sociedad en la esfera económica y laboral, en la que se reafirma el carácter Socialista de la Revolución, haciéndola más inclusiva al tener en cuenta la protección de los derechos de todas y todos en su diversidad, y en la que prima la dignidad humana y el respeto a los derechos inalienables de todos los que componen la nación.
Ayer recorrimos con nuestras compañeras 9 Colegios electorales, en barrios como La Lisa, Marianao, Habana Vieja, Centro Habana, Cerro y Nuevo Vedado, en todos vimos lo que decimos al principio, cuánta modestia y sencillez para llevar a cabo un acto tan grande, donde la pequeña salita del médico, o el garaje de la casa se convirtió en centro de votación.
El clima de paz y tranquilidad absolutamente envidiable para los que hemos vivido elecciones en nuestros países, el control estricto para hacer valer el derecho de cada elector a votar, la participación mayoritaria de la mujer en todos los Colegios electorales, la preocupación por los ancianos o enfermos que no podrían desplazarse por sus propios medios y un pionero junto al presidente de la mesa le llevaba la boleta a su casa.
El abuelo de 103 años que esperaba ansioso votar, o el ciego al que una pionerita guió con su mano donde firmar y al oído le dijo donde marcar con una cruz por el SI que dio este pueblo, o los hombres y mujeres que hicieron un alto en las tareas de reconstrucción de sus barrios y viviendas azotados por un feroz tornado hace solo 23 días, o los que vimos por la TV llegar a caballo a votar en las zonas intrincadas de la sierra.
Este 24 de febrero quedará marcado en la historia como el día en que 154 años después del comienzo de la guerra necesaria de José Martí, todo un pueblo reafirmó su vocación independiente, libre, socialista y soberana.
Para descargar el texto de la Nueva Constitución cubana dar clic en: http://media.cubadebate.cu/wp-content/uploads/2019/01/Constitucion-Cuba-2019.pdf



25 de fev de 2019

UM FIM DE SEMANA DE VITÓRIAS NA PÁTRIA GRANDE !




Em Cuba, o referendo popular aprovou a nova Constituição com uma votação de 86,85 % de inscritos votando SÍ e somente 7% em NO.

Para melhor entender o resultado: 

Apesar da propaganda da oposição pelo não (sim, há uma oposição...) , o povo cubano aprovou o texto que passa a vigorar como nova Lei Magna do país aperfeiçoando o socialismo e confirmando a soberania do país.

Outro gráfico para ficar ainda  mais claro:
De se observar, ainda,  que o voto em Cuba não é obrigatório.


                    VENEZUELA

           
           No domingo (24) o Comitê de Solidariedade à Revolução Bolivariana, o Comitê Internacional Paz, Justiça e Dignidade aos Povos (capítulo Brasil), o Comitê Carioca de Solidariedade a Cuba e o MPA (Movimento dos Pequenos Agricultores) se reuniram no Raízes do Brasil  em Santa Teresa - Rio. 


O evento, realizado em homenagem ao cantor, compositor e revolucionário Ali Primera contou com muitas canções latino-americanas tocadas e cantadas por diferentes artistas da América Latina para um público também muito diversificado de vários países.

 O Raízes do Brasil mais uma vez recebeu o público com comidas típicas  venezuelanas e colombianas.




As canções do homenageado foram cantadas pelo jovem Ali Alvarez, jovem  venezuelano que no momento se encontra estudando no Brasil e que promoveu o evento com as demais entidades 







As intervenções de diversas entidades foram todas no sentido de solidariedade à Venezuela em face das ameaças do império e de comemoração da vitória do dia 23 sobre os "falso positivos" que tentaram fazer valer - governos colombianos e estadunidenses.
 


O Cônsul da Venezuela, Dr. Edgar Marin fez um pronunciamento sobre mais esta etapa vencida pela verdade , da legitimidade do governo bolivariano, da soberania e autodeterminação do país e da  resistência do povo venezuelano.




                    CHAVEZ VIVE ! MADURO SIGUE !

23 de fev de 2019

Amanhã referendo pela aprovação da nova Constituição de Cuba : #YoVotoSí



Amanhã 24 de fevereiro de 2019 o povo cubano vai mais uma vez às urnas.

Agora,  para votar em um referendo para aprovação da nova Constituição cubana. O processo de se promulgar uma nova Constituição para o país (que vai substituir a de 1976) durou meses.

 Ao contrário de outros países o projeto foi consultado em todas as organizações de massa e pela população que levou aos parlamentares mais de 2 milhões (DOIS MILHÔES) de sugestões para sua forma final.



Este resultado foi levado à Assembleia Nacional do Poder Popular (ANPP) que  aprovou o texto no último 22 de dezembro.

Agora essa redação será votada neste domingo (24) pelos eleitores do país para aprovar sua lei magna. 


Nesta votação está sendo introduzida maliciosamente uma campanha por parte do império insuflando as pessoas a  votarem NÃO. Tudo isso para poder trazer instabilidade ao país (como sempre o fazem...)  na tentativa de romper a unidade que mantém os cubanos e cubanas em sua marcha pela dignidade e soberania da nação.
Mais uma vez serão derrotados.


Se eu fosse cubana, estaria muito feliz para amanhã poder votar com toda certeza com um grande SIM/SI !

Parabéns a todos e todas pela democracia que se pratica  nessa querida Ilha. Saudações fraternas do Comitê Carioca !
Seguimos juntos !

Segue um vídeo sobre o referendo:

https://www.facebook.com/MinisterioCulturaCuba/videos/354438605284000/





HOMENAGEM A ALI PRIMERA - neste domingo 24/2 no Raízes

O cantor do povo venezuelano 



Domingo 24 acontece o Segundo Sarau Latino-americano  desta vez em homenagem ao cantor venezuelano Ali Primera.
O Sarau vai começar às 15h na casa  Raízes do Brasil  ( Rua Áurea, 80 - em Santa Teresa) . 

Com o apoio do MPA e do Comitê Carioca vamos homenagear este grande artista revolucionário falecido em 1985 e que deixou linda obra reconhecida internacionalmente.


https://www.facebook.com/events/1106158536232649/?notif_t=plan_user_invited&notif_id=1550713590737336


Convidamos todas e todos a comparecer. Vamos conversar sobre a Venezuela.

#VenezuelaEnDefensaDeLaPaz 


17 de fev de 2019

TUITAÇO - É HOJE ! É AGORA ! #NoMasBloqueo




  Hoje é dia 17 e todo dia 17 de cada mês a solidariedade com Cuba realiza um "tuitaço" pelo fim do bloqueio. 





  Por que dia 17 ? Bem, quando os 5 cubanos estavam presos injustamente em cárceres estadunidenses, as centenas de Comitês espalhados pelo mundo realizavam - todo dia 5 - o 5 x 5, ou seja, um tuitaço mundial pela libertação dos 5 heróis.

  Em 17 de dezembro de 2014 os Cinco foram libertados em uma negociação entre Raul Castro e Obama. 
     A partir desta data, as entidades de solidariedade passaram a continuar a luta - agora pelo fim do bloqueio genocida que prejudica enormemente a vida do povo cubano.




   Daí que usamos a partir daquela data a palavra-chave : #NoMasBloqueo todo dia 17 e para que o ocupante eventual da Casa Branca também tenha ciência, agregamos o tuiter: @realDonaldTrump com a mesma hashtag. 




Por isso convocamos todos a se unirem a essa campanha solidária para que o império saiba que o mundo não mais aceita essa medida que, segundo um dos presidentes estadunidenses, é inócua e ultrapassada.

Seguimos ! 

#NoMasBloqueo ! @realDonaldTrump




Saiba mais: 





14 de fev de 2019

Declaração do Governo Revolucionário sobre a Venezuela

Photo: Internet
O Governo Revolucionário da República de Cuba denuncia a escalada de pressão e ações do governo dos Estados Unidos para preparar uma aventura militar disfarçada de «intervenção humanitária» na República Bolivariana da Venezuela e exorta a comunidade internacional a mobilizar-se para impedir que seja consumida.
Entre 6 e 10 de fevereiro de 2019, foram realizados voos de aviões de transporte militar para o aeroporto Rafael Miranda, de Porto Rico, a base aérea de San Isidro, na República Dominicana e para outras ilhas do Caribe estrategicamente localizadas, provavelmente sem o conhecimento dos governos dessas nações, que se originaram em instalações militares americanas das quais operam unidades de Operações Especiais e o Corpo de Fuzileiros Navais, que são usadas para ações secretas, mesmo contra líderes de outros países.
A mídia política e outros órgãos da imprensa, incluindo norte-americanos, revelaram que figuras extremistas desse governo, com uma longa história de ações e calúnias destinadas a provocar ou encorajar guerras, como o Conselheiro de Segurança Nacional John Bolton, o diretor para o Hemisfério Ocidental, do Conselho de Segurança Nacional, Mauricio Claver-Carone, com a participação do senador da Flórida, Marco Rubio, projetaram, gerenciaram o financiamento e organizaram, direta e detalhadamente, a partir de Washington, a tentativa de golpe na Venezuela através da autoproclamação ilegal de um presidente.
São eles os que, pessoalmente ou através do Departamento de Estado, estão fazendo pressões brutais contra numerosos governos para forçar seu apoio ao apelo arbitrário a realizar novas eleições presidenciais venezuelanas, ao mesmo tempo em que promove o reconhecimento do usurpador, que apenas conta com 97 mil votos como parlamentar, em frente aos mais de seis milhões de venezuelanos que em maio último elegeram o presidente constitucional Nicolás Maduro Moros.
Após a resistência ao golpe oferecido pelo povo bolivariano e chavista, demonstrado nas demonstrações de apoio em massa ao presidente Maduro e na lealdade das Forças Armadas Nacionais Bolivarianas, o governo dos Estados Unidos intensificou sua campanha política e midiática internacional e acirrou as medidas econômicas coercitivas unilaterais contra a Venezuela, entre as quais se pode citar o bloqueio em bancos de países terceiros de bilhões de dólares pertencentes à Venezuela e o roubo da receita das vendas de petróleo daquela nação irmã, que está causando sérios danos humanitários e privações difíceis a seu povo.
Junto com esse despojo cruel e injustificável, os EUA pretendem fabricar um pretexto humanitário para iniciar uma agressão militar contra a Venezuela e tem como objetivo introduzir no território dessa nação soberana, através de intimidação, pressão e força, uma suposta ajuda humanitária, que é mil vezes menor que os danos econômicos que provoca a política de cerco, imposta por Washington.
O usurpador e autoproclamado «presidente» declarou descaradamente sua disposição de exigir uma intervenção militar dos EUA, sob o pretexto de receber a tal «ajuda humanitária», e descreveu a rejeição soberana e digna daquela manobra como «um crime contra a humanidade».
Autoridades norte-americanas lembram todos os dias, com arrogância e impudência, que, em relação à Venezuela, «todas as opções estão em jogo, inclusive as militares».
No processo de fabricação de pretextos, o governo dos Estados Unidos recorreu ao engano e calúnia ao apresentar um projeto de resolução no Conselho de Segurança das Nações Unidas que, cinicamente e hipocritamente, expressa sérias preocupações sobre «a situação humanitária» e dos direitos humanos..., as recentes tentativas de bloquear o fornecimento de ajuda humanitária, a existência de milhões de migrantes e refugiados..., o uso excessivo da força contra manifestantes pacíficos, a situação de violação da paz e a segurança regionais» na Venezuela e insta «a adotar as medidas necessárias».
É claro que os Estados Unidos preparam o caminho para o estabelecimento forçado de «um corredor humanitário» sob «proteção internacional», invocando a «obrigação de proteger» os civis e aplicando «todas as medidas necessárias».
É essencial lembrar que comportamentos semelhantes e pretextos semelhantes foram adotados pelos Estados Unidos no prelúdio das guerras que lançou contra a Iugoslávia, o Iraque e a Líbia, ao preço das imensas perdas de vidas humanas e enorme sofrimento.
O governo dos EUA tenta eliminar o grande obstáculo representado pela Revolução Bolivariana e Chavista para o exercício da dominação imperialista sobre «Nossa América» ​​e despojar o povo venezuelano da primeira reserva de petróleo certificada do mundo e de outros recursos naturais abundantes e estratégicos.
A triste e dolorosa história das intervenções militares dos Estados Unidos não pode ser esquecida, em mais de uma ocasião, no México, Nicarágua, República Dominicana, Haiti, Cuba, Honduras e, mais recentemente, em Granada e Panamá.
Como advertiu o general-de-exército Raúl Castro Ruz em 14 de julho de 2017: «a agressão e o golpe contra a Venezuela prejudicam toda a nossa América» ​​e só beneficiam os interesses daqueles que estão determinados em nos dividir para exercer sua dominação sobre nossos povos, sem se preocuparem em gerar conflitos de consequências incalculáveis ​​nessa região, como aos que estamos assistindo em diferentes partes do mundo».
A história julgará severamente uma nova intervenção militar imperialista na região e a cumplicidade daqueles que a acompanham irresponsavelmente.
A soberania e a dignidade da América Latina e do Caribe e dos povos do Sul são decididas hoje na Venezuela. A sobrevivência das normas do Direito Internacional e da Carta das Nações Unidas também é decidida. Será definido se a legitimidade de um governo emana da vontade expressa e soberana de seu povo ou do reconhecimento de potências estrangeiras.
O Governo Revolucionário apela à mobilização internacional em defesa da paz na Venezuela e na região, com base nos princípios da Proclamação da América Latina e do Caribe como Zona de Paz, adotada com a assinatura dos chefes de Estado e de Governo da CELAC, em 2014.
Expressa as boas-vindas e apoio ao Mecanismo de Montevideu, iniciativa do México, Uruguai, a Comunidade do Caribe (Caricom) e a Bolívia, que busca preservar a paz na Venezuela com base, como declara a recente Declaração, nos princípios de não intervenção nos assuntos internos, a igualdade legal dos Estados e a solução pacífica de controvérsias.
Congratula-se com a recepção favorável desta iniciativa pelo presidente Maduro Moros e pela comunidade internacional e manifesta preocupação com a rejeição categórica do Governo dos Estados Unidos das iniciativas de diálogo promovidas por vários países, incluindo esta recente.
O Governo Revolucionário reitera sua firme e inabalável solidariedade com o Presidente Constitucional Nicolás Maduro Moros, a Revolução Bolivariana e Chavista e a união cívico-militar de seu povo e conclama todos os povos e governos do mundo a defenderem a paz e se oporem unidos, acima de diferenças políticas ou ideológicas, para impedir uma nova intervenção militar imperialista na América Latina e no Caribe, que prejudicará a independência, a soberania e os interesses dos povos do Rio Grande à Patagônia.
Havana, 13 de fevereiro de 2019.

12 de fev de 2019

¨VAI PRA CUBA, COMITÊ !" - A gente foi - parte 3 (final)

CAMPANHA INTERNACIONAL LULA LIVRE EM CUBA


 
                       Alicia Jrapko coordenadora do Comitê Internacional    em EUA            Foto : Bill Hackwell

A partir deste mês de janeiro, Cuba e suas autoridades, o ICAP e o Comitê Internacional Paz, Justiça e Dignidade aos Povos se juntaram à Campanha Internacional pela Liberdade  do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
O texto do ICAP é irretocável e sempre carregado de solidariedade:

http://www.icap.cu/noticias-del-dia/2019-01-26-de-cuba-apelo-ao-mundo.html

Assista o presidente do ICAP, Fernando González LLort na convocação: https://www.youtube.com/watch?v=hQnWfY4_AuM


                         Fernando González em foto de Bill Hackwell

A campanha segue e na IV Conferência Internacional pelo Equilíbrio do Mundo se tornou ainda mais divulgada. Ali, no stand do Comitê foram distribuídos cartões postais dirigidos ao Brasil, botton's da campanha, posters, enfim, muito material sobre a prisão injusta de Lula e a luta pela sua libertação. E aqui vai uma especial referência à companheira Arlinda de Castro que contribuiu muito com a arrecadação de material para levar a Cuba.




Exibimos o vídeo da Campanha Internacional que foi muito solicitado para ser exibido por outros países.




              LULA LIVRE !






Aqui a nota oficial do ICAP:


NACIONALES

DE CUBA, APELO AO MUNDO PELA LIBERDADE DE LULA CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE “LULA LIVRE, JÁ”

LULA LIVRE, JÁ! ESSE SERÁ NOSSO OBJETIVO A PARTIR DE HOJE, JUNTO A MILHÕES DE MULHERES E HOMENS DIGNOS DO PLANETA, EXPRESSOU NESTA SEXTA-FEIRA FERNANDO GONZÁLEZ LLORT, PRESIDENTE DO INSTITUTO CUBANO DE AMIZADE COM OS POVOS (ICAP) AO CONVOCAR À CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE COM O EX PRESIDENTE BRASILEIRO INJUSTAMENTE ENCARCERADO. A CONVOCAÇÃO FOI FEITA NA XIII OFICINA INTERNACIONAL SOBRE PARADIGMAS EMANCIPATÓRIOS.
TEXTO DO LANÇAMENTO DA CAMPANHA:
FIDEL CASTRO RUZ, LÍDER HISTÓRICO E VOZ PRESENTE DA REVOLUÇÃO CUBANA, MAIS DE UMA VEZ AFIRMOU E RECORDOU-NOS QUE O INTERNACIONALISMO CONSTITUI A MELHOR ESSÊNCIA DO SOCIALISMO.
HOJE MATERIALIZAMOS UMA NOVA AÇÃO INTERNACIONALISTA. DESTA VEZ CHAMAMOS A SOMAR-NOS, TODOS OS REVOLUCIONÁRIOS CUBANOS, DE FORMA BEM MAIS MARCADA E INTENSA, AO MOVIMENTO INTERNACIONAL DE SOLIDARIEDADE COM O EX-PRESIDENTE LULA.
MUITAS DE NOSSAS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS, DESDE QUE LULA FOI INJUSTAMENTE ENCARCERADO, DE FORMA ESPONTÂNEA E ALENTADORA COMEÇARAM A DESENVOLVER AÇÕES A FAVOR DE SUA LIBERTAÇÃO.
A PARTIR DE HOJE SOMAREMOS TODAS AS FORÇAS E MULTIPLICAREMOS NOSSOS ESFORÇOS EXIGINDO A LIBERDADE IMEDIATA PARA O EX-PRESIDENTE DE ORIGEM OPERÁRIA E QUE TANTO FEZ PELOS MAIS POBRES DE SEU PAÍS. PARA QUE AS VOZES DEMANDANDO SUA LIBERDADE SEJAM ESCUTADAS EM TODA A ÓRBITA.
OS ESTUDANTES, OS JOVENS EM GERAL, AS MULHERES, OS SINDICALISTAS, OS CAMPONESES, OS CIENTISTAS E INTELECTUAIS E TODA NOSSA SOCIEDADE ORGANIZADA, DEMONSTRARÃO, COM FATOS, ALGO DO QUE NOS ORGULHAMOS: CUBA JAMAIS ABANDONA SEUS VERDADEIROS AMIGOS, MENOS AINDA QUE SÃO VÍTIMAS DE INJUSTIÇAS CONTINUADAS.
A DIREITA ESTÁ DANDO EM TODA AMÉRICA LATINA E NO CARIBE UMA BATALHA EM GRANDE ESCALA, MEDIANTE A MANIPULAÇÃO DO PODER JUDICIAL, PARA CRIMINALIZAR DE FORMA SELETIVA OS LÍDERES DE ESQUERDA EM TODOS OS NÍVEIS.
ESSA DIREITA, POR NATUREZA CORRUPTA E CORRUPTORA, AGORA NÃO TEM ESCRÚPULOS PARA MENTIR E COM ISSO DESTRUIR A IMAGEM PÚBLICA DE FIGURAS COMO LULA, DILMA ROUSSEFF E CRISTINA FERNÁNDEZ DE KIRCHNER. CONSPIRA, SEM LIMITE ALGUM, PARA TERGIVERSAR OS MELHORES LEGADOS DESTES, NADA MAIS E NADA MENOS QUE MANIPULANDO A BANDEIRA LEGÍTIMA DA LUTA CONTRA A CORRUPÇÃO.
DESTAS TRÊS FIGURAS, LULA CUMPRE SENTENÇA DE 12 ANOS E 1 MÊS POR UM DELITO QUE NÃO COMETEU. BASTA ESTA EXPRESSÃO DO PROMOTOR QUE PROPÔS SUA SANÇÃO ORIGINAL “NÃO TENHO PROVAS, MAS TENHO A CONVICÇÃO”. OU SEJA, SEM PROVA ALGUMA EXPRESSA SUA CONVICÇÃO DE QUE LULA É CULPADO.
NÓS CONFIAMOS NA INOCÊNCIA DE LULA. NÃO SÓ PORQUE ATÉ HOJE NENHUM JUIZ, NEM NENHUM PROMOTOR LHE PROVARAM DELITO ALGUM, SENÃO PORQUE HOMENS PÚBLICOS COMO ELE, HOMENS COM SENTIDO DE SUAS RESPONSABILIDADES HISTÓRICAS COMO ELE, JAMAIS SE ATREVERIAM A COMPROMETER SUA IMAGEM FRENTE A SEUS POVOS.
UM CULPADO NÃO PEDE QUE SEUS DELITOS LHE SEJAM PROVADOS. UM CULPADO NÃO COLABORA COM OS ÓRGÃOS DO PODER JUDICIÁRIO COMO LULA O FEZ. UM CULPADO NÃO FAZ DECLARAÇÕES COMO AS SEGUINTES POUCO ANTES DE SE APRESENTAR ANTE SEUS CARCEREIROS:
 “SAIBAM – DISSE À MULTIDÃO DE POVO QUE O APLAUDIA – QUE ESTE PESCOÇO AQUI NÃO SE BAIXA, PORQUE VOU SAIR COM A CABEÇA ERGUIDA E COM O PEITO NO ALTO, PORQUE VOU PROVAR MINHA INOCÊNCIA”.
 “VOU ENFRENTÁ-LOS OLHO A OLHO, E VOU FAZER-LHES FRENTE ACEITANDO O CUMPRIMENTO DA ORDEM” (REFERIA-SE À ORDEM DE DETENÇÃO).
 “VOU ATÉ LÁ (PARA O CÁRCERE EM CURITIBA) PARA QUE SAIBAM QUE NÃO TENHO MEDO, QUE NÃO VOU FUGIR, PARA QUE SAIBAM QUE PROVAREI MINHA INOCÊNCIA”.
ASSIM FALOU LULA A SEUS SEGUIDORES. ASSIM FALOU AO MUNDO. ASSIM FALOU A SEUS FILHOS E NETOS. ASSIM MOSTROU SUA SEGURANÇA EM SUA INOCÊNCIA. ASSIM, E POR ESSA FIRMEZA E ESSA CONVICÇÃO, NÓS LHE APOIAREMOS COM DECISÃO, ATÉ QUE ESTEJA LIVRE.
FAÇAMOS REALIDADE O CHAMADO SOLIDÁRIO FEITO PELO GENERAL DE EXÉRCITO, RAÚL CASTRO RUZ, EM PRIMEIRO DE JANEIRO PASSADO: TRANSFORMEMOS A SOLIDARIEDADE COM LULA EM CAUSA COMUM DAS CUBANAS E CUBANOS. AJUDEMOS A QUE TODAS AS PESSOAS HONESTAS DO PLANETA CONTRIBUAM COM SUA LIBERDADE E QUE CESSEM OS ATAQUES E A PERSEGUIÇÃO JUDICIAL CONTRA AS EX -PRESIDENTAS DILMA ROUSSEFF E CRISTINA FERNÁNDEZ DE KIRCHNER.
A OCASIÃO É PROPÍCIA. A XIII OFICINA INTERNACIONAL SOBRE PARADIGMAS EMANCIPATÓRIOS TEM DEMANDADO, COM JUSTA RAZÃO E SENTIDO DE URGÊNCIA, QUE A SOLIDARIEDADE ENTRE OS POVOS SEJA TRANSFORMADA EM FATOS TANGÍVEIS, EM OBRA COLETIVA QUE SOME À NECESSÁRIA UNIDADE ENTRE ELES.
UNAMOS-NOS TAMBÉM NA CONDENAÇÃO E REJEIÇÃO ENÉRGIAOS À TENTATIVA DE IMPOR NA VENEZUELA, ATRAVÉS DE UM GOLPE DE ESTADO, UM GOVERNO FANTOCHE A SERVIÇO DOS ESTADOS UNIDOS.
É PARTE, COMO A PERSEGUIÇÃO A DILMA E CRISTINA E O ENCARCERAMENTO DE LULA, DE UMA ESTRATÉGIA DO IMPERIALISMO.

LULA LIVRE, JÁ. ESSE SERÁ NOSSO OBJETIVO A PARTIR DE HOJE, JUNTO A MILHÕES DE MULHERES E HOMENS DIGNOS DO PLANETA.


O Comitê Internacional Paz, Justiça e Dignidade aos Povos também enviou nota de apoio e solidariedade :



                     Cartões postais confeccionados pelo Comitê Internacional para envio ao Brasil como parte da Campanha. Assinados pelos participantes da Conferência


Comitê International Paz
Justiça e Dignidade aos Povos
    O ex-presidente Luiz Inacio "Lula" Dá Silva, líder histórico do Partido dos Trabalhadores -PT-, foi condenado em um novo processo a 12 anos e 11 meses de prisão. Sem demonstrar evidência alguma se lhe acusa de corrupção passiva pelas reformas realizadas em um sítio que não é de sua propriedade.
As ofensas contra Lula parecem não ter fim neste deboche obsceno no sentido mais elementar de justiça.
Em 29 de janeiro faleceu Genival Inacio da Silva "Vavá", de 79 anos de idade, irmão mais velho de Lula e figura paterna muito querida. A permissão para assistir ao funeral que todo prisioneiro tem, foi negado liminarmente.
Com cinismo e perversidade o Supremo Tribunal Federal (STF) outorgou um habeas corpus para garantir-lhe o "direito a encontrar-se exclusivamente com seus familiares", mas não no lugar onde velavam a seu querido irmão, senão em uma Unidade Militar da região, sugerindo inclusive que levassem o corpo à referida unidade. A permissão chegou no momento em que Vavá era sepultado. "Não deixaram que me despedisse de Vavá por pura maldade", expressou Lula, preso desde o 7 de abril de 2018, condenado sem provas em uma causa fictícia a 12 anos e 1 mês de reclusão. "Não posso fazer nada porque não me deixaram ir. O que posso fazer é  ficar aqui e chorar",

O Instituto Lula declarou que "a decisão judicial chegou quando o corpo estava sendo enterrado"no Cemitério da Pauliceia de São Bernardo do Campo, a 20 km de São Paulo e a 400 km do cárcere de Curitiba.

O músico e escritor Chico Buarque expressou "Minha solidariedade com Lula pela perda de Vavá. E meu repúdio à justiça pelo cinismo e a covardia".

Lula, de 73 anos de idade, foi indicado por Adolfo Pérez Esquivel Prêmio Nobel da Paz de Argentina, a receber o galardão por ter erradicado a Brasil do mapa da fome na primeira década de 2000, transformando por sua luta pacífica em uma das maiores personalidades políticas da região e o mundo. Seu crime é ter conseguido tirar da miséria extrema e da humilhação a mais de 30 milhões de brasileiros durante seu mandato. A campanha de ódio e perseguição contra ele está baseada na manipulação e na mentira. Lula é inocente. Lula é um preso político da oligarquia brasileira tutelada por Washington.

A verdade surge no golpe mediático, parlamentar e judicial que destituiu Dilma Rousseff do poder e continuou com a conspiração judicial para impedir  Lula e o PT de regressar à presidência.

A juíza Gabriela Hardt, que na tarde de hoje ditou a nova condenação, substitui o juiz Moro, promovido  a Ministro de Justiça pelo governo do ultradireitista Jair Bolsonaro, como prêmio à perseguição ilegal, imoral e cruel contra o máximo dirigente dos trabalhadores de Brasil.

Em  7 de abril se cumprirá  um ano de injusta prisão, e no dia 10 está previsto o julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) em segunda instância. Chamamos à solidariedade internacional a mobilizar em frente às embaixadas de Brasil em todo mundo, a multiplicar as ações de denúncia e solidariedade, realizar vigílias, atos, manifestos, trabalho nas redes sociais, e dias de luta pela liberdade de Lula em todo o mundo.

Dói-nos e indigna seu injusto cárcere. Chegue nossa solidariedade incondicional ao querido parceiro Lula pela perda de seu irmão, e o compromisso de lutar sem descanso por sua liberdade.

#Força Lula

#Lula Livre

Comitê Internacional Paz, Justiça e Dignidade aos Povos

6 de Fevereiro, 2019






Um personagem único  da Campanha : Jorgito ou 
Jorge Enrique Jerez Belisario.

Algumas pessoas vão lembrar de um menino, na época com seus oito ou dez anos talvez, nesse mesmo Palácio de las Convenciones em Havana. Em um evento de jovens e pequenos estudantes com Raul Castro e outras autoridades, Jorgito emocionou a todos contando sobre suas dificuldades físicas e de como a Revolução contribuiu para sua recuperação. 


Veja aqui :

 
https://www.youtube.com/watch?v=AWlUavKSy3o&t=52s

Jorgito ainda tem  dificuldade em razão de um problema neurológico, mas é um cubano insistente (e com senso de humor como poucos...) e acaba de se graduar. Foi ativo participante da Campanha pela Liberdade dos Cinco Cubanos. Hoje é um jornalista revolucionário  e está de corpo e alma na Campanha Internacional pela liberdade de Lula. 






LULA LIVRE!